COBERTURA DA CENTRAL E EDIFÍCIO DE MONTANTE - ALIJÓ, PORTUGAL

SOLUÇÕES SIKAPROOF® PARA A IMPERMEABILIZAÇÃO DAS ESTRUTURAS DA BARRAGEM DE FOZ TUA

APROVEITAMENTO HIDROELÉTRICO DE FOZ TUA: IMPERMEABILIZAÇÃO DAS COBERTURAS DA CENTRAL E DO EDIFÍCIO DE MONTANTE COM SISTEMAS SIKAPROOF®

A central hidroelétrica de Foz Tua localiza-se na margem direitado rio Tua, a cerca de 500 metros a jusante da barragem, numaplataforma situada à cota (102,80) (Fig. 1). É constituída pordois poços, cada um com o diâmetro interior de 16,10 metrose a altura máxima de 51 metros, unidos superiormente porum átrio de descarga e montagem, enterrado, situado à cota(88,00), ou seja, aproximadamente 15 m abaixo da superfície.Os poços incluem um conjunto de pisos técnicos destinadosa albergar todos os equipamentos. A central está equipada comduas turbinas-bomba, do tipo Francis de eixo vertical, tendo uma potência ativa total à saída dos alternadores de 270 MW.A central possui ainda um edifício de apoio localizado a montante,à cota (102,80), e um edifício de apoio localizado a jusante, à cota (98,70), onde se situa a sala de comando.

Fig.1 – Planta geral do aproveitamento

1 - Barragem
2 - Circuitos hidráulicos
3 - Central e subestação
4 - Canal de jusante

A zona impermeabilizada com o Sistema SikaProof® A abrange a coberturado átrio da central, incluindo as entradas do edifício de montante e parte dasubestação, e a cobertura do edifício de jusante. O acabamento final destassuperfícies é em betuminoso.

A cobertura do átrio é constituída por pré lajes apoiadas em vigas pré-fabricadas,solidarizadas entre si por uma betonagem contínua, posteriormenteregularizada com betão de enchimento, com cerca de 30 cm de espessura,na qual se materializam caleiras de cabos e caleiras pluviais, sendo que estazona abrange áreas de características distintas, nomeadamente:

  • A área onde se desenvolve parte da subestação, delimitada por um muretee com estruturas em betão salientes, nas quais se apoiam elementos metálicosde suporte às infraestruturas elétricas; essas estruturas (pequenosmaciços, muros e muretes de betão) são igualmente impermeabilizadas;pontualmente a impermeabilização é atravessada pelas ligações à terra emfio de cobre, sendo que o sistema de impermeabilização obedece ainda aocritério de resistividade elétrica ser superior a 100 Ωm;
  • A área das entradas do edifício de montante, no prolongamento da zonaacima referida;
  • Uma zona de acesso de veículos, entre o edifício de montante e a subestação,parcialmente dotada de carris, onde circulam um pórtico rolante euma tampa motorizada para acesso de equipamentos ao átrio.

Também impermeabilizada com este sistema é a zona de acesso dos transformadoresàs respetivas celas, igualmente com carris, localizada sobre a coberturado edifício de jusante. O sistema de impermeabilização é, conforme referido,protegido por uma camada de regularização em betão, pelo que o sistema aplicadonão está exposto ao ambiente. O fornecedor foi selecionado tendo emconta os métodos de resolução das singularidades do projeto, as garantias dofabricante, o portfólio de aplicações semelhantes e a possibilidade de acompanhamentoda execução, tendo sido selecionado o sistema o Sistema SikaProof®A, cuja tela é constituída por uma membrana poliolefina flexível (FPO), sendo aselagem entre telas efetuada por colagem com fita autoadesiva.

A zona impermeabilizada com o Sistema SikaProof® P abrange a coberturado edifício de montante, que foi posteriormente recoberta por forma a seintegrar na magnifica paisagem existente. Toda a geometria emitida pelaestrutura foi o desafio ultrapassado pela utilização deste sistema de fácil,eficiente e rápida aplicação, sem utilização de meios elétricos ou de chama.

DADOS PRINCIPAIS DA OBRA

Dono da obra: EDP Produção
Projeto de arquitetura: Souto Moura - Arquitectos, S. A.
Empreiteiro: Barragem de Foz Tua A.C.E. (Mota-Engil/Somague/MSF)
Fiscalização: Fase/Gibb

 

FATORES DE DIFERENCIAÇÃO

  • Apoio e suporte técnico desde a especificação, contando com os métodos de resolução das singularidades do projeto, até à execução e aplicação especializada.
  • O portfólio dos projetos internacionais e nacionais de referência com estes sistemas.

SOLUÇÃO SikaProof®

Tendo em consideração as singularidades do projeto, a Sika Portugal apresentou soluções dentro da gama SikaProof®.

Os sistemas SikaProof® têm por base a utilização de membranas sintéticas de FPO (poliolefina flexível) especialmente desenvolvidas para ficarem aderidas à estrutura de betão armado. Esta aderência tanto pode ser conseguida por uma aplicação “pré-betonagem” - SikaProof® A- permitindo o embebimento de um dos constituintes da membrana no betão, como por uma aplicação “pós-betonagem” - SikaProof® P - permitindo a aderência por colagem da membrana ao betão já endurecido. Os sistemas SikaProof® têm como principais vantagens a rapidez, facilidade e segurança de aplicação bem como não permitir, em caso de perfuração na membrana, o fluxo de água entre a membrana e o betão, confinando a água a um espaço reduzido e não trazendo anomalias inesperadas para a estrutura.

 

O sistema SikaProof® A, para a impermeabilização da cobertura de central, foi constituído pelos produtos:

SikaProof® A-12 (membrana).
SikaProof® Tape-150 (fita de reforço interna).SikaProof® ExTape -150 (fita de reforço externa).
SikaProof® FixTape-50 (fita para pormenores).
SikaProof® Primer-01 (primário).
SikaProof® MetalSheet (chapa colaminada de remate).

Complementares:
SikaSwell® (hidroexpansivos).
SikaRoof® MTC (sistema de membrana liquida em PU).

 

O sistema SikaProof® P, para a impermeabilização da cobertura do edifício de montante, foi composto pelos produtos:

SikaProof® P-12 (membrana).
SikaProof® Primer-01 (primário).
SikaProof® ExTape-150 (fita de reforço externa).
SikaProof® FixTape-50 (fita para pormenores).

Complementares:
Sikaplan® WP MetalSheet.
Sikaflex® 11 FC+.

Testemunhos

“O fornecedor foi selecionado tendo em conta os métodos de resolução das singularidades do projeto, as garantias do fabricante, o portfólio de aplicações semelhantes e a possibilidade de acompanhamento da execução.”

Armando Camelo, Direção de Engenharia de Barragens
EDP Produção

 

“A escolha por esta tecnologia específica, para a impermeabilização das coberturas aterradas da obra, deveu-se ao fator inovador da solução no que diz respeito objetivamente ao desempenho e eficácia das membranas escolhidas, e mais ainda pela rigorosa e simples explicação técnica da sua durabilidade e desempenho a longo prazo."

Tiago Figueiredo, Arquiteto
SOUTO MOURA - Arquitectos, SA

 

“À exigência de um projeto desta envergadura, caracterizado pela sua dimensão e especificidade, somaram-se ainda os requisitos técnicos impostos pelas singularidades que caracterizavam as superfícies de aplicação da própria impermeabilização, e estes foram os motivos que determinaram a escolha por esta solução."

Luís Afonso, Engenheiro
Direção da obra - MOTA-ENGIL

 

© Luis Ferreira Alves - Fotos gentilmente cedidas por:
SOUTO MOURA - ARQUITECTOS, S.A.