SIMPLICIDADE E DURABILIDADE NA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA SINGULAR SIKA USADA NA OBRA DE SOUTO DE MOURA

A Central e Subestação da Barragem de Foz Tua localizada em Alijó, Vila Real, recebeu o fornecimento de uma tecnologia inovadora da Sika que assegura rapidez na execução e durabilidade do sistema de impermeabilização da obra de Eduardo Souto de Moura realizado para a EDP.

São 7.000 m2 de um sistema inovador – SikaProof® - para impermeabilização de superfícies em betão, que foi aplicado nas coberturas enterradas dos edifícios, e que criam um efeito de total e durável ancoragem ao betão, num sistema de fácil aplicação e com considerável sustentabilidade.

O SikaProof® pode ser geralmente utilizado para impermeabilizar todos os tipos de bases de betão reforçadas e outras estruturas enterradas que estejam expostas a condições agressivas, ou em condições em que é necessário assegurar um ambiente interior totalmente seco, e ao mesmo tempo durável.“O fornecedor foi selecionado tendo em conta os métodos de resolução das singularidades do projeto, as garantias do fabricante, o portfólio de aplicações semelhantes e a possibilidade de acompanhamento da execução”, adianta Armando Camelo da Direção de Engenharia de Barragens da EDP Produção.

“A escolha por esta tecnologia específica, para a impermeabilização das coberturas aterradas da obra, deveu-se ao fator inovador da solução no que diz respeito objetivamente ao desempenho e eficácia das membranas escolhidas, e mais ainda pela rigorosa e simples explicação técnica da sua durabilidade e desempenho a longo prazo", referiu Tiago Figueiredo, arquiteto responsável pelo acompanhamento do projeto e obra.

“À exigência de um projeto desta envergadura, caracterizado pela sua dimensão e especificidade, somaram-se ainda os requisitos técnicos impostos pelas singularidades que caracterizavam as superfícies de aplicação da própria impermeabilização, e estes foram os motivos que determinaram a escolha por esta solução", esclarece Luís Afonso, engenheiro da Mota-Engil na direção da obra.

A nova barragem representa um investimento de 370 milhões de euros e começou a ser construída há seis anos, a pouco mais de um quilómetro da confluência dos rios Tua e Douro, e com o paredão a unir os concelhos de Alijó (Vila Real) e de Carrazeda de Ansiães (Bragança).