Presença global

Em nenhum outro período da sua história a Sika fundou mais filiais que entre 1990 e 1995: 16 novas filiais. Especialmente na Ásia, Europa de Leste e América Latina, Sika fortaleceu a sua presença. Apesar disso, a década de 90 não foi um período fácil, pelo que a Sika teve que se retirar de negócios menos lucrativos e não nucleares, tais como o fabrico de robôs para reabilitação de sistemas de esgotos.

A empresa suíça Sarna, especialista em membranas, tornou-se um membro do grupo Sika em 2005, e durante esta década Sika viveu o seu período de mais rápido crescimento. A facturação passou de 2 biliões para mais de 4,6 biliões de francos suíços, tendo para isso contribuído significativamente as 36 empresas adquiridas entre 2000 e 2008. Durante o mesmo período, o número de colaboradores aumentou de 8.000 para 13.000.


Desde o ano de 2000, Sika reúne as suas competências nucleares nas seguintes áreas: selagem, colagem, isolamento, reforço e protecção. Da cobertura à base, Sika procura a liderança de mercado nestas categorias. Sika Viscocrete, um adjuvante para betão introduzido no mercado em 2000, tornou-se um campeão de vendas. Sika atingiu o seu pico de negócio em 2006, com um aumento de um terço na facturação. Sika AG, a holding do grupo desde 2002, inicia um investimento considerável em pessoal e capacidade de produção, e reestrutura a gestão.

Desde 2006, todas as actividades de marketing e vendas são geridas por Unidades de Negócio centralizadas, orientadas para os quatro mais importantes grupos de clientes, Distribuição, Aplicadores, Betão e Indústria. No final da década, a recessão também se fez sentir na Sika. Apesar disso, Sika continua a aumentar a sua quota de mercado por todo o mundo. Ao comemorar o seu centésimo aniversário, Sika está mais que nunca bem equipada para enfrentar o futuro.