Guerra e crescimento económico

Durante a Segunda Guerra Mundial, as filiais Sika continuaram a produzir nos países onde estavam instadas.
Assim, aos adjuvantes para os bunkers construídos na Suiça e nas áreas ocupadas pelos alemães foram produzidos pela Sika. Mas também alguns dos Liberty Ships, construídos em betão para o transporte de material pelos aliados e usados para o desembarque na Normandia, foram construídos com adjuvantes Sika.

Durante o boom dos anos 50 e 60, novas filiais foram fundadas, da Suécia a Cuba. 1953 marca a entrada de Romual Burkard na Sika. Casado com uma neta do fundador, Romuald Burkard foi gradualmente assumindo a liderança da empresa, que em 1968 se torna numa estrutura corporativa integral, designada por Sika Finanz, passando a estar cotada na Bolsa de Valores Suiça no ano seguinte.

No entanto, com a difícil economia do final dos anos 60, Sika mergulhou numa grave crise. A nova fábrica de Düdingen teve graves problemas no arranque e ultrapassou em muito o orçamento. Outras filiais passavam também por problemas. A situação era realmente ameaçadora, e o objectivo era claro: evitar a falência.